meplus-ret-tm.png Respostas

 

Estas informações foram desenvolvidas com a ajuda de Sandy Quigley, CWOCN, CPNP, uma enfermeira especializada em pediatria e uma estomaterapeuta (especialista clínica em tratamento de feridas, ostomia e continência) no Boston's Children Hospital.

Posso segurar ou abraçar meu filho após a cirurgia?

A menos que o médico de seu filho não recomende devido a uma situação médica específica, não há problema nenhum em fazê-lo! O seu filho pode ser segurado, abraçado e pode até mesmo brincar com os amigos e a família, tal como fazia antes da cirurgia. As únicas restrições poderão ter a ver com os desportos de contato como futebol ou luta livre. O impacto destas atividades poderá causar algum trauma ao estoma. O profissional de saúde saberá informá-lo sobre quaisquer restrições.

Qual o aspeto de um estoma?

Child descending colostomy

Procure estas características:1

  • Vermelho, húmido e macio ao toque, como a mucosa interna da boca
  • Forma arredondada ou oval
  • Plano ou saliente em relação à pele do abdómen

Um estoma é formado a partir de um tecido muito parecido com o revestimento interno da bochecha. O estoma é muito irrigado por pequenos vasos sanguíneos, e é comum que sangre um pouco quando realizada a sua higiene, durante as mudanças do sistema coletor.

Certos alimentos podem alterar a cor das fezes. Por exemplo, gelatina vermelha ou beterraba pode dar às fezes uma tonalidade avermelhada brilhante parecida com sangue, mas é inofensiva. No entanto, se não estiver confortável com a cor das fezes de seu filho, procure o seu médico.2,1,3

Caso observe estas alterações no estoma do seu filho, entre em contato imediatamente com o profissional de saúde:1

  • A cor do estoma está muito escura ou muito clara.
  • Há sangue nas fezes do seu filho ou no estoma

 

Vou magoar o meu filho se tocar no estoma?

O estoma não possui terminações nervosas; assim, o seu filho não deverá sentir dor ao tocar no seu estoma.1

Logo após a cirurgia, a barriga do seu filho poderá ficar dorida, situação que deverá diminuir gradualmente à medida que o estoma cicatriza. Uma vez cicatrizado, seu filho pode brincar como quiser, e até mesmo rastejar com a barriga no chão, a menos que as enfermeiras e os médicos não o recomendem.

O estoma pode alterar-se após a cirurgia?

O estoma pode mudar em tamanho e forma nos primeiros meses após a cirurgia. Um estoma pode ficar saliente (o mais desejável), nivelado com a pele , retraído (abaixo do nível da pele) ou prolapsado.4 O médico do seu filho aconselhá-lo-á como cuidar especificamente de cada tipo de estoma.

Para crianças com um estoma prolapsado, será importante verificar a cor do estoma de forma periódica. Qualquer alteração na cor deverá ser reportada ao médico ou enfermeira(o) estomaterapeuta.

À medida que a criança cresce, o tamanho do estoma também aumenta. O tamanho ou orifício do penso protetor cutâneo poderá precisar de um ajuste. A(o) sua(seu) enfermeira(o) poderá ajudá-la a escolher o tamanho de penso mais adequado para  estoma do seu filho.4

Quando devo esvaziar o saco do meu filho?

O saco deve ser esvaziado quando um terço de sua capacidade estiver preenchido.1 Isto evitará que o saco fique pesado, cause desconforto, ou ocorram fugas. Para além disso, um saco totalmente cheio é mais difícil de esvaziar.

A extremidade drenável do saco coletor deve ser limpa para evitarmos odor e manchas nas roupas. Certifique-se que o sistema de encerramento do saco não está em contacto com a pele da criança. Isto evitará irritações cutâneas.

Para muitos pais, é mais fácil esvaziar o saco para uma fralda a cada três ou quatro horas, ou conforme necessário. Crianças mais velhas que estão a começar a aprender a ir à casa de banho devem ser ensinadas a sentar-se na retrete, com o rabo bem para trás, enquanto esvaziam o saco diretamente para a retrete.

Por quanto tempo posso utilizar o saco coletor?

Cada criança é diferente, Por isso, deve perguntar à sua(seu) enfermeira(o) sobre as necessidades específicas do seu filho. O tempo de utilização do saco depende da idade da criança, nível de atividade, e para crianças com uma colostomia, da consistência das fezes. Por exemplo, um bebé pode precisar que o saco seja trocado diariamente, enquanto que numa criança mais velha, a mudança pode ser programada para cada três dias.

Estabelecer uma rotina para a mudança do saco coletor irá facilitar a transição para os cuidados em casa. O processo de aprendizagem dos pais deve ser feito nos períodos de menor atividade do estoma, como por exemplo, antes das mamadas ou das refeições. A substituição do saco coletor de ser feita nessa altura.

Caso perceba que houve infiltração de efluente através do penso protetor cutâneo, deve substituir o sistema coletor imediatamente, para evitar a irritação da pele. Caso necessite trocar o saco do seu filho mais de uma vez ao dia, entre em contato com o profissional de saúde para se aconselhar.

Posso dar banho de imersão ou de chuveiro ao meu filho sem o sistema coletor?

Tomar banho não irá prejudicar o estoma. Muitos pais preferem dar banho aos seus filhos com o saco, já que não há como saber quando as fezes ou a urina irão sair pelo estoma. Nestes casos, a substituição do saco pode ser feita logo após o banho.

Ao dar banho ao seu filho, escolha um sabonete que não seja à base de óleo nem seja hidratante, para não interferir na aderência do penso protetor cutâneo.5 Enxague bem a pele com água, e certifique-se que esta se encontra completamente seca antes de aplicar um novo sistema coletor.

O que causa a irritação na pele periestomal?

A causa mais comum de irritação é a infiltração dos efluentes entre a pele e o protetor cutâneo. Ocasionalmente, a irritação pode ser causada pela forma como a bolsa coletora foi aplicada. Isso ocorre devido a uma série de razões.4 Ajuste inadequado da placa protetora de pele ou bolsa coletora ao tipo de estoma da criança. Sendo necessário associar com outros adjuvantes que garantem uma melhor vedação entre o estoma e o adesivo.

A enfermeira estomaterapeuta pode ajudá-lo a resolver quaisquer problemas de irritação na pele e auxiliá-lo na adaptação da bolsa coletora.  

A partir de que idade pode ser o meu filho a trocar o saco?

Cada criança é diferente. Pode começar por pedir ao seu filho que ajude com tarefas simples como ir buscar os materiais para substituição so sistema coletor, ajudar a remover o saco ou na higiene do estoma e da pele. Isso contribuirá para a autoconfiança da criança e sua, pois irá transferir lentamente o autocuidado para o seu filho.

Que tipo de roupa deve vestir o meu filho?

Os sistemas coletores  para ostomia da ConvaTec [link para Produtos pediátricos] são desenvolvidos para serem discretos, de modo a que não possam ser identificados sob a maioria das roupas; contudo, aqui vão algumas recomendações que podem garantir ainda mais o conforto do seu filho:

  • Certifique-se que os cintos e os cós das calças não pressionem o estoma, especialmente se estiver localizado próximo da linha da cintura da criança.
  • Muitos pais de bebés e crianças pequenas acham que é útil utilizar roupas e macacões em peças únicas, que ajudam a impedir que as crianças retirem o saco coletor.
  • Raparigas mais velhas e adolescentes podem preferir fatos de banho a bikinis, para esconder o estoma.
  • Os rapazes podem sentir-se mais confortáveis usando fatos de banho tipo boxer.

Caso tenha outras perguntas ou preocupações, é sempre melhor entrar em contato com a(o) enfermeira(o) estomaterapeuta ou o pediatra do seu filho.

O meu filho pode ficar desidratado  devido à ostomia?

A desidratação pode acontecer em situações em que seu filho elimina muita urina ou fezes e não consegue repor os líquidos.6 Por exemplo, quando uma criança fica com diarreia e/ou vómito, corre o risco de ficar desidratada.

Entre em contato com o seu médico ou outro profissional de saúde se o seu filho tiver diarreia ou sinais precoces de desidratação como:7

  • Redução da eliminação de urina
  • Muito sonolento e hipoativo
  • Boca seca

 

O meu filho precisa de uma dieta especial?

Isso depende da condição médica de seu filho. A menos que o médico recomende uma dieta especial ou dê indicações alimentares específicas, o seu filho poderá comer uma variedade de alimentos com poucas restrições.

De modo geral, é importante que o seu filho consuma uma dieta balanceada, mastigue bem os alimentos e beba muitos líquidos (conforme indicado pela enfermeira ou pelo médico) para evitar uma desidratação.4 Nas primeiras semanas após a cirurgia, o seu filho poderá sentir-se mais confortável comendo refeições e lanches em pequenas porções e com mais frequência.

O médico também poderá recomendar a introdução de alimentos que o seu filho não costumava comer antes da cirurgia, introduzir os novos alimentos, um de cada vez, para ver como o corpo dele reage. Poderá ler mais sobre os alimentos que causam gases e odor nesta página.

Certos alimentos podem ter algum efeito nas fezes de meu filho?

Sim. Certos alimentos como queijo, batata, pão, bananas e manteiga de amendoim podem causar obstipação. Outros alimentos podem provocar  fezes mais líquidas, como sumos de frutas e alimentos muito condimentados. Alimentos como gelatina vermelha e beterrabas podem fazer com que as fezes mudem de cor; no entanto, essa alteração de cor é temporária e inofensiva.3,8

O que é uma obstrução intestinal?

A obstrução intestinal pode ocorrer numa criança com uma ileostomia (já que é mais estreita que o intestino grosso). Um alimento difícil de digerir pode formar um “bolo” e bloquear trânsito intestinal. Por isso, é importante que a criança com ostomia mastigue muito bem os alimentos e beba muitos líquidos.

Entre os alimentos que podem causar uma obstrução estão as pipocas, aipo, frutos secas, sementes e castanhas, ervilhas e saladas verdes.3 Os sinais e os sintomas de uma obstipação intestinal são:2

  • Dor ou cólicas abdominais
  •  Inchaço abdominal ou no estoma
  • Fezes mais aquosas, eventualmente com pouca ou nenhuma eliminação de fezes
  • Náuseas ou vômitos
  • Irritabilidade ou comportamento atípico

Pergunte ao médico do seu filho sobre os sinais e os sintomas de uma obstrução intestinal, pois pode tornar-se numa situação grave.

O que causa gases?

Engolir ar, como acontece quando uma criança chora, chucha, ou bebe com uma palhinha, pode causar gases. Certos alimentos como feijão, refrigerantes, bebidas gaseificadas e vegetais como repolho, couve, couve flor e brócols podem causar gases 3.

Se o saco do seu filho ficar cheio de gases, poderá descolar o dispositivo da pele e esvaziá-lo.

E se meu filho tiver diarreia?

Muito provavelmente, quando o seu filho tiver alta hospitalr, já saberá o a frequência e o tipo de eliminação de fezes do seu filho. Isso vai ajudá-lo a saber quando suspeitar de uma diarreia. Se achar que o seu filho está com um episódio de diarreia, entre em contato com o médico do seu filho. O médico poderá fazer perguntas para ajudar a diagnosticar a diarreia como, por exemplo:

  • Tem esvaziado o saco com maior ou menor frequência do que o normal?
  • As fezes estão mais aquosas?
  • O seu filho apresenta outros sinais de doença ou de desidratação?

O médico ou a enfermeira estomaterapeuta de seu filho podem ajudar a resolver os problemas de diarreia. Certifique-se que o seu filho se mantém adequadamente hidratado, e faça com que volte a se sentir bem o mais rapidamente possível.

“O nosso portal usa cookies e outras tecnologias para que nós e os nossos parceiros nos possamos lembrar de si e compreender como utiliza o nosso site. Aceda à nossa Ferramenta de Consentimentos de Cookies, conforme a vê em todas as páginas, para ver uma lista completa destas tecnologias e para nos comunicar se podem ser utilizadas no seu dispositivo. A continuação da utilização deste site será considerada como consentimento tácito.. Poderá bloquear e evitar os cookies. Veja como fazê-lo aqui: instruções

Saiba mais sobre a nossa política de Cookie